04 Mar15:46

Transalvador já autuou 210 condutores por consumo de bebida alcoólica

Desde a última quarta-feira (27), quando teve início à Operação Carnaval 2019, a Transalvador já autuou 210 condutores flagrados por dirigir sob efeito do álcool. Somente na noite deste domingo (03), 49 condutores foram autuados por este motivo pelos agentes de trânsito que participavam da operação. Entre quarta-feira e domingo, 1.986 condutores foram abordados pela equipe de Lei Seca, que tem realizado blitzes diárias para inibir o consumo de bebida alcoólica pelos foliões.

“Todos sabem que a combinação de álcool e direção é um dos grandes causadores de acidentes de trânsito. Infelizmente alguns condutores ainda insistem em cometer este tipo de infração, pondo em risco não apenas a própria vida, mas também a vida de outras pessoas que tenham buscado outras formas mais responsáveis e suras de voltar para suas casas”, afirmou Fabrizzio Muller, superintendente da Transalvador.

Somente ontem (03), foram abordados 355 condutores, e 42 habilitações foram recolhidas. Nos cinco dias de operação, já foram emitidos 397 autos de infração, além de 183 CNHs recolhidas e 80 veículos foram removidos ao pátio da autarquia. Os agentes também flagraram dois crimes de trânsito, quando o condutor apresenta nível igual do maior que 0,34mg/L, e é encaminhado a um posto policial para que sejam adotadas as providências legais.

Comparativo – Os números apresentados pela blitz em 2019, apesar de expressivos, ainda podem ser considerados melhores quando comparados ao mesmo período no Carnaval de 2018. Entre a quarta-feira que antecede o Carnaval até o domingo, quinto dia de operação, 1.738 condutores foram abordados e 394 autos de infração foram emitidos – destes, 233 foram para condutores que dirigiam após o consumo de álcool. Além disso, 223 CNHs foram recolhidas e 96 veículos removidos ao pátio.

“Este é nosso objetivo, ver estes números reduzir a cada ano, enquanto a população não somente cria o hábito de não beber quando for dirigir, mas também a consciência de que esta combinação pode causas acidentes graves e colocar em risco a própria vida e de outras pessoas no trânsito”, concluiu Muller.