Prefeitura de Salvador
PROGRAMAÇÃO
patrocinador
oficial
03 Feb17:11

Simulado atesta qualidade e eficiência dos serviços de saúde para o Carnaval

Para testar o tempo resposta dos atendimentos, os pacientes receberam os primeiros socorros no local do incidente 

Aconteceu na manhã desta quarta-feira (03), na Barra, um simulado para testar a capacidade de planejamento, execução, resposta e avaliação das ações de saúde durante o Carnaval. A atividade, coordenada pelo Samu de Salvador, contou com a participação de 100 profissionais, 20 ambulâncias e quatro motolâncias, além de 50 estudantes de medicina que voluntariamente interpretaram as vítimas da suposta explosão de um camarote e 40 profissionais do Corpo de Bombeiros.

Para testar o tempo resposta dos atendimentos, os pacientes receberam os primeiros socorros no local do incidente e foram remanejados para a rede de acordo com o perfil de cada vítima. Algumas foram encaminhadas para o módulo assistencial montado pela Prefeitura na Barra, exclusivamente para os dias da folia, onde foram estabilizadas. Outras forma encaminhadas para observação nas UPAs da Prefeitura. Já os pacientes com perfil hospitalar, como no caso de queimaduras graves, fraturas expostas e infarto agudo do miocárdio, foram encaminhados para o Hospital Santa Izabel (caso cardiovascular) e unidades estaduais de referência.

"Este simulado visa testar todas as equipes e instâncias envolvidas no Carnaval para garantirmos rapidez e qualidade dos atendimentos que são nossas principais preocupações, bem como a capacidade de resposta dos nossos 11 módulos que absorvem primeiramente todas as ocorrências das ruas. Com isso, a organização do Carnaval de Salvador continua sendo referência para todo o país em eventos de massa", afirmou José Antônio Rodrigues Alves, secretário municipal da Saúde.

A qualidade dos serviços oferecidos pela pasta pode ser confirmada por números. Durante todo o carnaval de 2015, foram realizados 5.540 atendimentos nos dez módulos assistenciais à saúde instalados pela Prefeitura nos circuitos oficiais da folia. Deste total, foram feitas apenas 189 transferências para unidades de retaguarda, o que representou somente 3% dos casos. A UPA Barris foi o principal destino, absorvendo 43% das demandas.

“Durante o Carnaval teremos milhões de pessoas aglomeradas nas ruas e em caso de um acidente complexo como esse precisamos da interação de várias equipes. Por isso iremos realizar essa atividade, onde avaliaremos o trabalho e o fluxo de atendimento para estarmos totalmente preparados para atender os foliões de forma rápida e eficaz”, esclareceu o médico Ivan Paiva, coordenador do Samu de Salvador. 

Em 2013, a simulação envolveu um trio elétrico e cerca de 60 profissionais na Avenida Adhemar de Barros. A atividade serviu como aprimoramento e qualificação das equipes de trabalho escaladas para o Carnaval daquele ano e para os jogos da Copa das Confederações (2013) e Copa do Mundo (2014).

© 2017, Prefeitura de Salvador.