Prefeitura de Salvador
PROGRAMAÇÃO
patrocinador
oficial
04 Feb16:09

Sambistas comemoram mais espaço no Campo Grande

Com mudança do local e abertura oficial do Carnaval, blocos de samba atraem todos os holofotes na quinta

Há mais de 30 anos uma manifestação popular tomou força e batizou as quintas-feiras carnavalescas como Quintas do Samba. Os instrumentos de percussão como cuícas, atabaques, surdos e timbaus invadem o Circuito Osmar (Campo Grande) e carregam uma multidão, levando para avenida o ritmo que surgiu com a mistura de estilos musicais de origem africana e brasileira que já completou 100 anos.

O presidente do bloco Proibido Proibir, Luis Cláudio, o Lula, destacou a importância da Quinta do Samba. “Começamos na década de 1980 com o samba no chão. Fomos o primeiro bloco do ritmo a se apresentar. O espaço foi oficializado na década de 1990”, lembra. Conforme ele, a antecipação da entrega das chaves da cidade para o Rei Momo facilitou o desfile. “Ficamos muito felizes com essa decisão. Temos agora mais visibilidade, pois vamos ter mais tempo e podemos nos apresentar mais cedo, já que a solenidade oficial de abertura mudou de data e local”, comemorou.

Além do Proibido Proibir, Alerta Geral, Pagode Total, Amor e Paixão vão desfilar na Quinta do Samba, a partir das 19h. Toda a programação está disponível no site www.curtacarnaval.com.br. Mas o samba não tem espaço na folia apenas hoje. “Não só a quinta, mas a sexta e até o sábado tem sambistas na rua”, disse o presidente do Alvorada, Vadinho França, que se apresenta amanhã.  

De acordo com ele, a força que o movimento vem tomando o ritmo e os blocos mais visíveis. “Começou espontaneamente e hoje temos uma visibilidade muito grande, o que nos deu mais credibilidade”, afirmou ele, que comemora este ano o 41º aniversário do bloco. Ele frisou a diversidade como marca do Carnaval soteropolitano, mas fez questão de marcar o espaço que o samba tem. “Temos espaço para todo o mundo, mas a quinta é do samba”. 

© 2017, Prefeitura de Salvador.