05 Mar19:17

Rotina de gari no Carnaval é dura, mas há espaço para brincar

Roberto Santos, de 34 anos, saiu de casa cedo, vestiu a camisa do bloco do trabalho e foi atrás de um trio diferente no último dia de Carnaval em Salvador, nesta terça-feira (5). Mas ele não correu para o Circuito Osmar (Campo Grande) só para brincar. Roberto é gari, e estava preparado com sua vassoura, retirando tudo que é lixo que ficava pelo caminho.

Ele conta que, para desempenha a função da forma correta, é necessário que o funcionário seja comprometido com horário e tenha "força". "Tem que ser pontual, prestar atenção no que o fiscal tá dizendo e ter força pra varrer", explica.

Apesar do trabalho braçal debaixo do sol quente da capital baiana, Roberto conta que é possível se divertir também. "Gostei muito de ver Léo Santana passando, porque ele é do povo mesmo. Ele veio de baixo, e agora tá ali em cima", refletiu sem, em nenhum momento, deixar o trabalho de lado.

Na quarta-feira (6), dia do tradicional Arrastão, ele vai ficar em casa, descansando os dias de varredura, quando trabalhou das 6h às 14h. "Amanhã vou deitar", revela.

Toneladas - Segundo a Empresa de Limpeza Urbana do Salvador (Limpurb), foram retiradas das ruas da cidade 1.422,31 toneladas de lixo de quinta-feira (28) a segunda-feira (04). Foram 1.451 agentes de limpeza, como Roberto, envolvidos na operação. A Limpurb ainda disponibilizou 2.998 mil banheiros químicos, 70 containers climatizados e 1.580 serventes sanitários químicos.