04 Mar15:19

Orquestras se despedem do Carnaval na folia do Rio Vermelho

O toque do berimbau e o repique do pandeiro embalou o Hino Nacional, na abertura da última noite do Palco das Orquestras, no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho. A Orquestra Paulo Primo foi a primeira a se apresentar com os convidados Gerônimo, Matilde Charles e Cida Martinez. Vestidos de verde, os músicos tocaram canções que exaltam Salvador e o Brasil, seguidas pelo samba e ijexá, como "São Salvador", "Aquarela do Brasil", "Não deixe o samba morrer" e "É D’oxum".

Na plateia, moradores, pais acompanhados de crianças e apreciadores da MPB curtiam cada momento com samba no pé e sorriso no rosto. A técnica de enfermagem aposentada Maria das Graças Carvalho, de 69 anos, não parava de dançar. “Isso está maravilhoso. Eu moro há 65 anos no bairro e só agora estou tendo a oportunidade de apreciar esses shows tão bons no Carnaval”, afirmou.

Na festa houve espaço também para pessoas com deficiência, que aproveitaram a tranquilidade do espaço para apreciar canções que fizeram história. Foi o caso da cadeirante Maria Eliza, de 65, que pôde relembrar os antigos carnavais. “Esse Carnaval do Rio Vermelho é um presente. São músicas bonitas, gostosas e aqui as pessoas brincam sem violência”, disse.

Primeira convidada a subir ao palco, Matilde Charles fez questão de ressaltar o quão importante é dar espaço também para os clássicos da MPB no Carnaval. “A orquestra traz essas músicas da MPB que fazem parte da nossa cultura e que casam perfeitamente, porque o Carnaval é a festa da diversidade. É a primeira vez que faço um trabalho com orquestra e estou apaixonada”, contou.

Troca de emoções - Para Gerônimo Santana, poder cantar com a Orquestra Paulo Primo em um bairro tão simbólico como o Rio Vermelho é uma troca de emoções: “O público daqui sempre espera por algo que o faça feliz. O Rio Vermelho é o umbigo da civilização e é muito bom se apresentar para essas pessoas”.

A noite ainda contou com as apresentações das orquestras Fred Dantas e Zeca Freitas. Também já passaram pelo palco, desde a última sexta, as orquestras Sérgio Benutti e Afro-Sinfônica.

A programação especial de três dias de Carnaval no Rio Vermelho, sempre abrindo com um bailinho infantil, foi preparada pela Prefeitura, por meio da Empresa Salvador Turismo (Saltur), e agradou o público que prefere um Carnaval mais tradicional e tranqüilo, principalmente famílias com crianças e idosos.