Sala de Imprensa do Carnaval homenageia Paulo Gaudenzi
Economista, empresário, ex-secretário de Cultura e Turismo do Estado, criador e presidente da Superintendência de Fomento ao Turismo do Estado da Bahia (Bahiatursa), e, recentemente, vice-presidente de relações institucionais da empresa Salvador Destination. Como gestor, Paulo Gaudenzi teve diversas atribuições ao longo de mais de quatro décadas trabalhando em favor do turismo da Bahia.

Dentre as atividades do verão soteropolitano, o Carnaval de Salvador era a festa para a qual seu trabalho sempre fluía e, em justa homenagem, a Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), batiza a Sala de Imprensa Oficial do Carnaval com o seu nome. O empresário de 74 anos morreu no dia 4 de fevereiro, deixando esposa e três filhos.

“É no Carnaval que se renovam a magia e a alegria do cotidiano baiano, que exprimem o jeito de ser de uma gente que faz da Bahia a Terra da Felicidade!”. Com essa frase de Gaudenzi, a companheira Eliana Pedroso – diretora de Gestão do Centro Histórico – fala do empresário e do homem. Segundo Eliana, Gaudenzi “era um homem de rara inteligência, alimentada por um amplo conhecimento sobre as mais variadas coisas, além de um ser humano de extraordinária sensibilidade”.

De acordo com Eliana Pedroso, essas características fizeram de Paulo Gaudenzi um líder visionário, de ideias transformadoras e capacidade de antever oportunidades. “Ele enxergou o turismo na Bahia como um fato econômico da maior importância para o Estado, construindo estratégias com ações estruturantes, para que a magia da cultura baiana expandisse suas fronteiras. Sempre disse que o que diferenciava uma cidade era o que vinha de seu povo. Assim, apoiou intensamente os artistas da terra, das mais diversas linguagens, sempre sentado nas plateias e visitando camarins, para se alimentar da arte e incrementar o apoio à produção cultural baiana”, destaca.

Carnavalesco – No que diz respeito ao Carnaval, Gaudenzi foi pioneiro em promover apoio financeiro às agremiações que fazem a festa, por meio da Bahiatursa, promovendo discussões nacionais e internacionais para os que despontavam como grandes talentos, consolidando o movimento da axé music com um plano de marketing diferenciado, ocupando espaços pioneiros e fazendo com que a imagem da Bahia ganhasse o mundo.

O gestor e o carnavalesco – entidades que formavam a pessoa Paulo Gaudenzi – também foram lembrados por um dos pilares da folia baiana. Fundador e presidente da banda e bloco Habeas Copos, Sérgio Bezerra fala com carinho do amigo. “Paulo, além de grande amigo, foi um dos homenageados do Habeas. Ele foi, sem dúvidas, o maior nome do turismo da Bahia e do Brasil, sendo inúmeras vezes reconhecido pelo belíssimo trabalho à frente da Bahiatursa. Puxando brasa para nossa sardinha, ‘Paulinho’ foi um grande apoiador da ideia de trazer o Carnaval para a Barra, na década de 1990, quando era secretário de Turismo do Estado. Fora isso, sempre foi incentivador de artistas e blocos, apoiando os nomes que hoje estão consolidados na festa e que são referência para o mundo”, declara.

Amante das artes, Gaudenzi cultivava amigos na música e no teatro baiano, a exemplo da escritora Aninha Franco, que, em 2004, o entrevistou durante 11 horas sobre as políticas que ele conduziu no Estado da Bahia e que resultaram no sucesso artístico e turístico dos anos 1990 e metade de 2000. O material coletado será lançado em breve, no formato de guia. “Paulo Gaudenzi foi o político cultural mais eficiente que eu conheci. Ele dispunha de virtudes que fazem um gestor eficiente: inteligência, bom gosto e preocupação com a história da cidade e com sua história pessoal”, relembra.

Discípulo de Gaudenzi e diretor de Turismo da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), Antônio Barretto Jr. lembra com alegria de seu mestre e amigo. “Quando fui admitido na Secretaria da Cultura e Turismo do Estado da Bahia, em 2002, passei a compreender o porquê de Paulo Gaudenzi ser tão querido por todas as pessoas que trabalhavam e conviviam com ele. A generosidade presente nos seus atos, a forma atenciosa de tratar as pessoas, a sua preocupação permanente com o crescimento profissional dos seus colaboradores, sempre foram exemplos contagiantes. O maior segredo do seu sucesso enquanto gestor público era o investimento na capacitação da sua equipe técnica de trabalho e a formação de líderes do futuro. As equipes da Bahiatursa e da SCT eram verdadeiros ‘dream teams’. Tínhamos orgulho em trabalhar na SCT e na Bahiatursa. O clima organizacional era o melhor possível. Paulo sempre foi muito próximo de seus liderados”.